RSS

Gravação de ‘Ti-ti-ti’ é cheia de detalhes definidos na hora

20 jan
O humor e a rapidez das gravações de 'Ti-ti-ti' são atípicos. Foto: TV Globo/Divulgação

O humor e a rapidez das gravações de Ti-ti-ti são tão atípicos em estúdios de novelas que nem parece que as pessoas estão trabalhando. Entre risos, piadas internas e muita – mas muita mesmo – interação entre elenco, direção e equipe técnica, até uma sequência demorada e rica em detalhes vira uma festa. Ainda que curta. Tanto que mal dá tempo para as trocas de roupas, já que se costuma aproveitar cada cenário ao máximo, rodando cenas de capítulos bem diferentes em uma mesma tarde. “O Alexandre não vem mais. Foi embora, disse que tinha peça para fazer e se mandou”, brincou Murilo Benício, esbanjando bom humor mesmo sem os trajes de Victor Valentim, ao ouvir o diretor Jorge Fernando perguntar sobre o colega, intérprete do caricato Jacques Leclair, que estava no camarim.

A cena em questão caracteriza mais um embate entre os inimigos Ariclenes e André Spina. Primeiro, André aparece disposto a recuperar seu ateliê, de onde foi literalmente escorraçado pela vingativa Jaqueline, de Cláudia Raia. Mas Ariclenes, que também tem interesse na marca do rival, surge em seguida, esbanjando charme ao convidar a fashionista para sair. É nessa hora que os dois se enfrentam, com direito a pétalas de flores na boca de Murilo, que se esforça para não engoli-las. “Bota mais. Enche! Fica preocupado não que elas não fazem mal para saúde”, ironizou Jorge Fernando, enquanto Cláudia repassa suas falas com a coach Rosana Garcia.

Durante o ensaio, Jorge Fernando tem vários ideias a respeito de pequenos detalhes que podem fazer a diferença na hora de ver a briga no ar. Desde um posicionamento diferente do elenco em relação às câmaras até uma série de cruzadas de pernas de Cláudia. “Sabe que eu tinha pensado em fazer desse jeito? É por isso que somos almas gêmeas”, derreteu-se a atriz, pouco antes de desculpar-se por esquecer completamente sua hora de falar o texto, levando o cenário inteiro às gargalhadas. “Vamos Claudinha, se a gente se apressar, ainda consegue ver o fim da novela no ar”, brincou o diretor, lembrando que já são quase oito da noite.

Enquanto encenam a briga, Alexandre e Murilo experimentam diversos movimentos. Mas um deles diverte mais o estúdio: ambos sobem no sofá que decora o ateliê, de maneira que ele quase vira na direção da janela. “Olha que eu te derrubo”, divertiu-se Alexandre. Sem saber, ele e Murilo acabam dando a ideia para que Jorge transforme a cena em algo mais cômico ainda. “Vocês sobem e a Jaqueline senta, impedindo que o sofá vire”, sugeriu. No ensaio, parece dar muito certo. Mas, na hora de gravar, os dois quase caem. E é isso mesmo que deixa a cena ainda mais realista. “Ficou excelente”, vibrou o diretor, já dentro da ilha de edição.

O embate só acaba quando Thales, o novo marido de Jaqueline, vivido por Armando Babaioff, aparece. O rapaz questiona a briga dos dois e se mostra enfurecido ao ouvir que ambos disputam um jantar com sua mulher. Com medo do surfista robusto, os dois saem feito cachorrinhos, “com o rabo entre as pernas”. “Melhor puxar um de cada lado. É para dar medo”, instruiu Jorge Fernando. Mas essa piada só vai ser entendida mais para frente. É que Thales é gay e vai, na verdade, formar par com Julinho, papel de André Arteche. “Eu não sei de nada ainda”, desconversou Babaioff, que fica sem graça em seguida ao saber que Cláudia já confirmou a informação.

Ti-ti-ti – Globo – Segunda a sábado, às 19h30.

O humor e a rapidez das gravações de Ti-ti-ti são tão atípicos em estúdios de novelas que nem parece que as pessoas estão trabalhando. Entre risos, piadas internas e muita – mas muita mesmo – interação entre elenco, direção e equipe técnica, até uma sequência demorada e rica em detalhes vira uma festa. Ainda que curta. Tanto que mal dá tempo para as trocas de roupas, já que se costuma aproveitar cada cenário ao máximo, rodando cenas de capítulos bem diferentes em uma mesma tarde. “O Alexandre não vem mais. Foi embora, disse que tinha peça para fazer e se mandou”, brincou Murilo Benício, esbanjando bom humor mesmo sem os trajes de Victor Valentim, ao ouvir o diretor Jorge Fernando perguntar sobre o colega, intérprete do caricato Jacques Leclair, que estava no camarim.

A cena em questão caracteriza mais um embate entre os inimigos Ariclenes e André Spina. Primeiro, André aparece disposto a recuperar seu ateliê, de onde foi literalmente escorraçado pela vingativa Jaqueline, de Cláudia Raia. Mas Ariclenes, que também tem interesse na marca do rival, surge em seguida, esbanjando charme ao convidar a fashionista para sair. É nessa hora que os dois se enfrentam, com direito a pétalas de flores na boca de Murilo, que se esforça para não engoli-las. “Bota mais. Enche! Fica preocupado não que elas não fazem mal para saúde”, ironizou Jorge Fernando, enquanto Cláudia repassa suas falas com a coach Rosana Garcia.

Durante o ensaio, Jorge Fernando tem vários ideias a respeito de pequenos detalhes que podem fazer a diferença na hora de ver a briga no ar. Desde um posicionamento diferente do elenco em relação às câmaras até uma série de cruzadas de pernas de Cláudia. “Sabe que eu tinha pensado em fazer desse jeito? É por isso que somos almas gêmeas”, derreteu-se a atriz, pouco antes de desculpar-se por esquecer completamente sua hora de falar o texto, levando o cenário inteiro às gargalhadas. “Vamos Claudinha, se a gente se apressar, ainda consegue ver o fim da novela no ar”, brincou o diretor, lembrando que já são quase oito da noite.

Enquanto encenam a briga, Alexandre e Murilo experimentam diversos movimentos. Mas um deles diverte mais o estúdio: ambos sobem no sofá que decora o ateliê, de maneira que ele quase vira na direção da janela. “Olha que eu te derrubo”, divertiu-se Alexandre. Sem saber, ele e Murilo acabam dando a ideia para que Jorge transforme a cena em algo mais cômico ainda. “Vocês sobem e a Jaqueline senta, impedindo que o sofá vire”, sugeriu. No ensaio, parece dar muito certo. Mas, na hora de gravar, os dois quase caem. E é isso mesmo que deixa a cena ainda mais realista. “Ficou excelente”, vibrou o diretor, já dentro da ilha de edição.

O embate só acaba quando Thales, o novo marido de Jaqueline, vivido por Armando Babaioff, aparece. O rapaz questiona a briga dos dois e se mostra enfurecido ao ouvir que ambos disputam um jantar com sua mulher. Com medo do surfista robusto, os dois saem feito cachorrinhos, “com o rabo entre as pernas”. “Melhor puxar um de cada lado. É para dar medo”, instruiu Jorge Fernando. Mas essa piada só vai ser entendida mais para frente. É que Thales é gay e vai, na verdade, formar par com Julinho, papel de André Arteche. “Eu não sei de nada ainda”, desconversou Babaioff, que fica sem graça em seguida ao saber que Cláudia já confirmou a informação.

Ti-ti-ti – Globo – Segunda a sábado, às 19h30.

 
Deixe um comentário

Publicado por em 20/01/2011 em Notícias da TV

 

Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: